domingo, 30 de setembro de 2012

NOSSO BLOG COMPLETOU UM ANO

Nosso Blog completou um ano no dia 27 de setembro, atingindo a marca de 3000 visitas. 

Agradecemos e esperamos que a maioria das pessoas que nos deram a honra de nos visitar, tenham ficado satisfeitas e entendido a nossa proposta. Proposta simples, desenvolvida com muita dificuldade mas, o nosso amor é infinitamente maior que todas as dificuldades.

Enquanto Deus nos permitir, continuaremos buscando despertar nas crianças da nossa comunidade, o gosto pela leitura, utilizando o lúdico como principal instrumento.

O nosso trabalho é fruto da certeza que temos com relação ao livro como objeto  desvendador de horizontes. O prazer que sentimos quando lemos um livro, as viagens que fazemos através deles, o conhecimento que adiquirimos, a paixão que nos despertam por determinados assuntos, nos inspira e nos obriga a passar todas essas sensações a quantas pessoas sejamos capazes. 

Decidimos trabalhar com crianças, porque sabemos que quanto mais cedo a criança tiver contato com livros, seja através de leitura realizada pelos pais,  pelo simples manuseio, biblioteca escolar, etc., mais cedo elas poderão desenvolver o gosto pela leitura.

Estamos felizes e a cada sábado que reencontramos as crianças sorridentes, pedindo livros, nos abraçando, contando as suas histórias, mais felizes, esperançosos e responsáveis nos sentimos; tudo isto nos impulsiona a continuar garimpando livros, brincadeiras, músicas, assuntos para nossa conversas para que os nossos sábados sejam sempre coloridos como é o arco-íris. 
As imagens falam por nós.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 




  

sábado, 29 de setembro de 2012

ÚLTIMO SÁBADO DE SETEMBRO!











 Livro utilizado pelas crianças ainda não alfabetizadas (3 a 5 anos).  Utilizaram as ilustrações como se estivessem realmente lendo. Maravilhoso!
Livro utilizado pelas crianças que já lêem mas precisam superar dificuldades para pronunciar algumas palavras.  Resultado melhor que o esperado.
Livro utilizado pelas crianças que já lêem sem dificuldade, visando aprimorar pontuação para melhor entendimento dos textos. O resultado foi muito bom.

 Meninas transformando bola de isopor em objeto de decoração!

 
 
 
 

Lanchinho!
  

sábado, 22 de setembro de 2012

A PRIMAVERA CHEGOU!


PRIMAVERA (pelas crianças do Arco-Íris)


PRIMAVERA

Cecília Meireles

A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a primavera que chega.

Finos clarins que não ouvimos devem soar por dentro da terra, nesse mundo confidencial das raízes, — e arautos sutis acordarão as cores e os perfumes e a alegria de nascer, no espírito das flores.

Há bosques de rododendros que eram verdes e já estão todos cor-de-rosa, como os palácios de Jeipur. Vozes novas de passarinhos começam a ensaiar as árias tradicionais de sua nação. Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pelos ares, — e certamente conversam: mas tão baixinho que não se entende.

Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inverno, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremente, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol.

Esta é uma primavera diferente, com as matas intactas, as árvores cobertas de folhas, — e só os poetas, entre os humanos, sabem que uma Deusa chega, coroada de flores, com vestidos bordados de flores, com os braços carregados de flores, e vem dançar neste mundo cálido, de incessante luz.

Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação.

Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, — e os ouvidos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora se entendeu e amou.

Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos; e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.

Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, — por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida — e efêmera.

Texto extraído do livro "Cecília Meireles - Obra em Prosa - Volume 1", Editora Nova Fronteira - Rio de Janeiro, 1998, pág. 366.

Saiba tudo sobre a vida e a obra de
Cecília Meireles visitando "Biografias".

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

PRIMAVERA



O tempo da primavera em nós
Por Cléo Busatto


Para saudar a primavera tratei as plantas. Cortei os galhos secos. Revirei a terra e acrescentei  húmus. Lavei as folhas, retirei a poeira. No inverno não é bom mexer com elas. Preferem ficar quietinhas e recolhidas. A energia se volta para dentro. Por fora parecem feias e sem vida. Mas lá, no interior escuro, algo se processa. É tempo de preparar um novo galho, que expandirá seu brilho na forma de uma nova folha, flor, fruto. Quando chega a primavera, a natureza sabe que é tempo de vir para fora em toda a sua plenitude, mostrar a beleza que carrega em si, construída lentamente, num processo silencioso e continuo. 

O mito nos conta, que a deusa Perséfone, quando jovem, foi raptada por Hades. Deméter, sua mãe e senhora da terra e das colheitas, fez um trato com o deus do mundo subterrâneo. Eles acordam que durante seis meses a jovem ficaria com ele, no mundo de dentro e depois, por outros seis meses, permaneceria na companhia da mãe, no mundo de fora. Quando ela chega à superfície, tudo floresce e madura. Quando ela volta para Hades, a natureza
se contrai e se volta para o interior.

Cuidar do jardim metaforiza o ato me cuidar, para fazer a primavera acontecer em mim. No meu inverno, tempo de recolhimento, calada eu gero, o que potencialmente já existe. Quando a primavera se aproxima, eu também devo limpar minhas sujeiras que impedem o livre respirar, cortar o galho que não tem mais seiva, me adubar com terra boa e nutrientes, renovar a consciência dos ciclos da natureza. Tudo nasce, cresce e morre. Até um pensamento, uma forma de se olhar.

Primavera é tempo de se florir, deixar surgir novas ideias, novas formas de se lidar com as coisas, de desapegar e permitir que o belo que nos habita se espalhe na superfície. Tempo de se maravilhar com a vida, que explode em cores e perfumes, se deixar tocar pelo sonho que origina o movimento para o novo. É tempo de ver as coisas com os olhos da alma, e se assombrar com o que poderá se enxergar.

domingo, 2 de setembro de 2012

SETEMBRO


QUE BOM QUE VOCÊ VEIO!

Quando falo dessas
pequenas felicidades certas,
que estão diante de cada janela,
uns dizem que essas coisas não existem,
outros que só existem
diante das minhas janelas,
e outros, finalmente,
que é preciso aprender a olhar,
para poder vê-las assim.

(Cecília Meireles)
As crianças do "Arco-Íris" saudaram setembro com muita alegria: desenharam, jogaram, brincaram... tudo com muita alegria e esperança de dias melhores!!!